Casamentos Babies & Kids 15 anos

Nutrição em casa

Exibindo página 3 de 349

Navegue como ou

Conheça 5 mitos e verdades sobre o ovo

O ovo já foi vilão e mocinho na nutrição, mas qual a sua verdadeira identidade? Abaixo, listo alguns mitos e verdades para tirar dúvidas sobre um dos alimentos que mais gosto de prescrever, justamente por sua qualidade nutricional. Claro, desde que você não seja alérgica a ele. Muitas pessoas possuem alergia ao ovo (talvez mais do que ao glúten e ao leite), no entanto, para obter esse diagnóstico é preciso realizar um exame específico que verifica alergias tardias. 1. Ovo ajuda a melhorar a memória – VERDADE A colina, substância presente na gema do ovo, é um nutriente fundamental para o desenvolvimento cerebral humano e uma grande aliada da memória, por isso se diz que o ovo pode contribuir nessa área. Mas sem exageros. O recomendado é consumi-lo apenas três vezes por semana. 2. Aumenta o mau colesterol – MITO Os ovos são ricos em colesterol, mas têm uma baixa quantidade de gordura saturada. Além disso, a substância, encontrada principalmente na gema, não é suficiente para aumentar os níveis de colesterol no organismo. 3. Faz bem para os músculos – VERDADE Apesar de a gema possuir mais proteínas, é na clara que a albumina, substância essencial para o crescimento muscular, está presente. Portanto, se quiser ganhar massa muscular, o ideal é consumir o ovo no jantar, uma vez que a albumina tem uma lenta absorção. 4. Aumenta as chances de doenças cardiovasculares – MITO Por possuir fosfolipídio, substância que impede que o colesterol seja captado pelo intestino, o ovo acaba sendo, na verdade, um aliado no combate às doenças...
Leia mais

Entenda o que é e como funciona a dieta detox

A abreviação “detox” vem de detoxificação do organismo, principalmente do fígado, o principal órgão responsável pela eliminação de toxinas presentes em alimentos com muita gordura, sal, açúcar, corantes, conservantes e agrotóxicos. A desintoxicação pode ser aplicada de diversas maneiras e o seu principal objetivo é se livrar das toxinas e substâncias que sobrecarregam nosso corpo de alguma maneira e podem prejudicar o bom funcionamento do nosso organismo. A dieta detox consiste basicamente em adicionar nutrientes em falta no organismo, além de vitaminas e minerais que melhoram a função do fígado. Esses nutrientes estão presentes em legumes, verduras (principalmente as escuras), frutas frescas e secas, castanhas, ervas e especiarias. Mas cuidado: “limpar o organismo” NÃO significa passar fome ou entrar em dietas malucas por um curto período de tempo e depois voltar a comer tudo errado. Muito pelo contrário, temos que encher nosso corpo de nutrientes para que nosso fígado consiga trabalhar de forma eficiente. O importante é retirar da dieta os alimentos que o corpo sofre mais para digerir e metabolizar como glúten, leite e derivados, aditivos, conservantes, corantes, açúcares, adoçantes, produtos refinados, industrializados e álcool. Claro que existem estratégias para melhorar o processo de eliminação de metabólitos pelo fígado com alguns biativos ou vitaminas específicas que costumo orientar de acordo com cada organismo. Mas a dieta detox, tão comentada ultimamente, nada mais é do que uma alimentação saudável. Vale lembrar que antes de começar um detox é importante cuidar do intestino e garantir que ele esteja bem regulado. De nada vai adiantar fazer uma desintoxicação do organismo se...
Leia mais

Conheça os mitos por trás dos alimentos diet e light

Ainda tem muita gente que me pergunta se existe diferença entre alimentos diet e light. E eu respondo: sim, toda a diferença! E, digo mais, é preciso tomar cuidado na hora da escolha. Os alimentos diet possuem isenção de um ingrediente específico, geralmente o açúcar, sendo indicados para pessoas diabéticas. Já os alimentos light possuem redução de 25% a 35% de algum ingrediente que compõe o alimento, podendo ser calorias, gorduras, açúcares, sal, entre outros. Esses alimentos, no entanto, não são sinônimos de emagrecimento. Veja um exemplo: quando pegamos um alimento que tem quase 100% de gordura, como o creme de leite, sua versão light terá uma redução de 25% nessa gordura, mas mesmo assim, o produto ainda terá mais da metade de sua composição sendo gordura, ou seja, ainda é muita coisa. Veja alguns outros mitos sobre o assunto: - Alimentos light não têm gordura: MITO Como falei anteriormente, o fato de possuir menos gordura não significa que ela esteja ausente. - Por ser light, posso comer o quanto quiser: MITO Se você consumir grandes quantidades de um alimento light, vai acabar consumindo mais calorias do que se estivesse comendo o produto com suas características originais. - Gestantes não podem consumir alimentos diet: MITO Não há nada que impeça as gestantes de consumirem produtos diet, mas eu costumo recomendar que se dê preferência aos normais. - Chocolate diet não engorda: MITO Mesmo não contendo açúcar em sua composição, os chocolates diet geralmente possuem até um teor maior de gordura quando comparados aos normais, podendo conter mais calorias. Até...
Leia mais

Quer uma alimentação saudável? Comece mudando o arroz que você come

Que o arroz integral é muito mais saudável do que o branco, não é nenhuma novidade. Mas você sabia que existem outros tipos de arroz, ainda mais nutritivos do que o integral e, cá entre nós, mais gostosos? Todos eles possuem como fonte principal o carboidrato, elemento fundamental para nos dar energia, principalmente se for de boa qualidade e rico em fibras. Sendo assim, aproveite para conhecer algumas novas opções e varie o cardápio diário! Arroz vermelho: muito apreciado na Ásia, é rico em fibras e em vitaminas do complexo B. O mais interessante nesse arroz é que ele possui algumas gorduras de boa qualidade como ômega 3, em sua composição. Embora não possamos falar que “é uma fonte de ômega 3”, ele se mostra como uma opção saudável ao nosso organismo. Arroz selvagem: sem dúvida, é o mais caro de todos, mas também o que tem a melhor composição nutricional, uma vez que possui um alto teor de fibras e proteínas e baixo teor de carboidrato. Além disso, tem a vantagem de ser rico em ferro. Arroz negro: conhecido como “arroz proibido” porque os imperadores chineses o consideravam uma iguaria com poderes “afrodisíacos”. Curiosidades à parte, ele é um arroz rico em flavonoides, fibras e proteínas. Depois de cozido, apresenta uma coloração roxa bem escura, o que caracteriza os compostos antioxidantes. Arroz branco: o tipo mais tradicional da culinária brasileira apresenta maior teor de carboidratos, alto índice glicêmico e poucas fibras, quando comparado aos outros. Embora seja muito gostoso, infelizmente, não possui muitos micronutrientes em comparação aos demais....
Leia mais

Como escolher a melhor panela para sua cozinha

Parece estranho, mas você sabia que a panela que você usa para cozinhar interfere diretamente no alimento e, consequentemente, na sua saúde? É por causa disso que muita gente ainda fica na dúvida sobre qual tipo e modelo de panela escolher. Atualmente, há tantas formas, tamanhos e materiais que ficamos mesmo perdidos. Bem, todas elas têm seus prós e contras, mas algumas podem ser mais prejudiciais a nossa saúde. Vejamos os diferentes tipos: - ALUMÍNIO: são as que possuem o menor custo, mas as que levantam mais discussões, já que, quando utilizadas, liberam alumínio, um metal pesado muito prejudicial ao organismo que pode trazer diversas doenças, principalmente, neurodegenerativas. - INOX: tudo depende da qualidade da marca e do tempo de uso da panela, uma vez que estudos mostraram que as mais novas não contaminam os alimentos, enquanto que as mais velhas podem oferecer esse risco. Assim como as de alumínio, as panelas de inox também podem liberar metais tóxicos na comida, como o níquel. Seu consumo pode causar doenças no longo prazo. - ANTIADERENTE: compostas pelo ácido perfuoro-octanóico (PFOA) e pelo politetrafluoretileno (PTFE), extremamente tóxicos, as panelas antiaderentes desgastadas pelo uso devem ficar longe da cozinha para evitar que pequenas quantidades dessas substâncias sejam depositadas no alimento. Caso sejam novas, a recomendação é ter cuidado para não riscá-las durante a lavagem com outros utensílios ou pela esponja de aço. - VIDRO: indicada por não liberar nenhuma substância tóxica no alimento, as panelas de vidro são bem cotadas para o serviço, mas além de não serem fáceis de encontrar, costumam reter muito...
Leia mais

Como arrumar a geladeira?

Organizar a geladeira preserva e dá sabor aos alimentos! Parece besteira, mas saber arrumar os alimentos na geladeira é muito importante para conservá-los corretamente. Existe um espaço certo para cada tipo. Muitas vezes, acabamos colocando as coisas no lugar errado, o que faz com que elas estraguem mais rápido. Siga estas dicas e mãos à obra, pois está na hora de colocar essa geladeira em ordem: - Gavetas inferiores: São ideais para armazenar verduras e legumes. Por estarem mais longe do freezer, impedem que as folhas fiquem queimadas e com aspecto feio, devido às baixas temperaturas. Embalar tudo em saquinhos também pode ajudar nesse processo. - Prateleira acima das gavetas: Aproveite-as para armazenar as frutas. Ah! E todas embaladas em saquinhos plásticos. - Prateleira do meio: Ótima para guardar alimentos já processados, sempre em vasilhas com tampa. Dê preferência aos potes de vidro, pois assim há menos chances de contaminar o alimento. As frutas picadas e as carnes que serão descongeladas podem ser colocadas aqui. Lembrando que o período de permanência desses alimentos na geladeira é de 24 horas a, no máximo, 48 horas. - Prateleira superior: É a região mais fria da geladeira e, por isso, deve abrigar alimentos mais perecíveis. Coloque os ovos e derivados do leite como iogurtes, queijos e frios. Carnes, frangos e peixes em refrigeração para serem preparados devem igualmente ser armazenados nessa área. Mas atenção! A duração dos peixes é de 24 horas, enquanto que a de carnes e frangos é de 48 horas. - Porta: Armazene todas as bebidas. - Congelador: Ao congelar os alimentos, lembre-se de colocar...
Leia mais

Petiscos e aperitivos saudáveis para servir em casa

Adoro chegar em casa, principalmente às sextas, abrir um vinho e fazer um aperitivo antes do jantar. Por isso resolvi trazer opções de aperitivos saudáveis, que também servem como opções para o lanche da tarde. Vamos a elas? - Edamame: mais conhecido como soja verde, o grão possui uma boa fonte de proteína vegetal, além de ter baixo teor de carboidratos e gorduras. Rico em isoflavonas, compostos orgânicos que atuam na prevenção de doenças crônico-degenerativas, e fibras que ajudam na sensação de saciedade, o edamame pode ser encontrado na seção de congelados dos supermercados. Seu modo de preparo é super fácil: basta jogá-lo em água fervente, deixar por três minutos, escorrer a água e colocar um pouco de flor de sal por cima. Fica uma delícia. - Pipoca: ao contrário do que muitos pensam, a pipoca pode sim ser um petisco saudável. O mais interessante em sua composição é o alto teor de fibras e a quantidade reduzida de calorias. O segredo está no modo de preparo. O ideal é que você mesmo estoure o milho direto na panela. Mas fuja da manteiga! Coloque apenas um pouco de óleo vegetal ou azeite. Para temperar, abuse da criatividade: você pode utilizar curry, sal rosa, pimenta, cúrcuma ou algum outro tempero de sua preferência. Atenção: evite as pipocas de micro-ondas, são de péssima qualidade, possuem alto teor de gordura trans e grandes quantidades de sódio. - Oleaginosas: ricas em minerais e gorduras monoinsaturadas, ambos benéficos para o colesterol, as castanhas possuem uma única advertência: seu consumo deve ser moderado, pois são...
Leia mais

Alimentação equilibrada X preços altos

Alimentos orgânicos, considerados mais saudáveis, acabam tendo altos preços no mercado. Como ter uma alimentação equilibrada sem precisar esvaziar os bolsos? Escuto muitas pessoas reclamando que é difícil sustentar uma rotina de alimentação mais saudável, pois é tudo mais caro. Será mesmo que isso é uma realidade? É claro que não se pode negar o momento delicado que o País está vivenciando. Só neste início de ano, os preços dos legumes e verduras subiram de 15% a 23% e os das frutas 4,38%, isso devido, principalmente, à escassez de água dos últimos meses. No entanto, é possível seguir uma dieta saudável sem gastar muito por meio de substituições inteligentes que não pesam tanto no bolso. Frutas como framboesa, cereja e cranberry, por exemplo, que são ricas em antioxidantes e têm ótimos componentes para o coração e para pele, podem ser substituídas por maçãs – muito mais baratas e com todos os benefícios citados acima. Já o salmão, rico em ômega 3 e em gorduras com poder anti-inflamatório, pode ser tranquilamente substituído pela sardinha, que possui essas mesmas propriedades. Para economizar, basta saber substituir e equilibrar a dieta. As tradicionais feiras de rua são ótimas aliadas para encontrar produtos naturais com preços melhores. Mas, atenção! Cuidado com os modismos. Aqueles que já tentaram seguir uma dieta sem glúten, por exemplo, sabem o quanto esses produtos são mais caros, no entanto, nem todos eles podem ser considerados saudáveis. Lembre-se que a alimentação saudável consiste no consumo de produtos naturais e que, por serem assim, estragam com mais facilidade, diferentes dos industrializados,...
Leia mais

Nutrição em casa

A nutricionista Karina Al Assal já escrevia em nosso site de Casamentos, e, a partir de hoje, é colunista também aqui do Open House! Na coluna Nutrição em Casa, ela dará dicas de como iniciar uma rotina de alimentação saudável em casa e, em sua coluna de estreia, fala justamente sobre como manter uma vida equilibrada. Esperamos que gostem! Se você conseguir estabelecer uma rotina de alimentação saudável em casa, em seu dia a dia, é meio caminho andado para atingir as suas metas para uma vida equilibrada. No consultório, escuto muitos de meus pacientes reclamarem que, com a correria da rotina, falta tempo para cozinhar. Escuto ainda que a logística de manter o alimento, principalmente quando moram só duas pessoas em uma mesma casa, também se torna difícil, pois tudo acaba estragando e, muitas vezes, costuma-se optar por uma solução mais prática, como pedir algo para comer ou trocar jantar por pão com frios ou até pular essa refeição. Para essas pessoas, dou sempre a mesma (má) notícia: estas soluções as afastam ainda mais de uma vida saudável. O mais importante para começar a se organizar é o planejamento. Monte um cardápio com as refeições da semana; faça isso você mesma (ou com a ajuda de um profissional), assim, você consegue se planejar com as compras para a semana toda. Caso não tenha ajuda em casa, indico pegar um dia e fazer várias porções de comida e congelar para o resto da semana. O processo de congelamento, ao contrário do que muitos acham, não perde nutrientes, além de ser...
Leia mais